UTI Neonatal

A humanização na UTI Neonatal, aliada à capacitação da equipe e à infraestrutura adequada, é responsável pela pronta recuperação dos prematuros. Os profissionais do setor incentivam o aconchego do colo materno, onde o bebê recebe calor, amor e está perto do peito e, através do método Mãe Canguru, têm favorecido o desenvolvimento das crianças que estão prontas para deixar a incubadora.

Na UTI Neonatal do Hospital Monte Sinai, a assistência é completa. A equipe é multidisciplinar, especializada em neonatologia, e conta com apoio de exames complementares, laboratoriais e radiológicos 24 horas. Além de respiradores de alta frequencia, monitores cardíacos e de oxigenação, entre outros aparelhos, a UTI dispõe de incubadora especial para o transporte do bebê da sala de parto até o setor. A amamentação é estimulada, como forma de proteção contra infecções, regurgitações alimentares e como forma de manter o vínculo do recém-nascido com sua mãe. A presença diária dos pais é estimulada, fundamental para o fortalecimento do bebê, que ganha peso mais rápido e fica menos tempo internado.

Calor, carinho e colo na UTI

O aconchego do colo materno, onde o bebê encontra calor, amor e está próximo do peito, tem garantido o rápido desenvolvimento dos prematuros que chegam à UTI Neonatal do Monte Sinai. O método Mãe Canguru, inspirado nos marsupiais que completam a gestação dos filhotes dentro de uma bolsa, junto ao corpo, vem sendo estimulado para crianças em condições de deixar a incubadora. O contato com a pele da mãe, com o ritmo dos batimentos cardíacos e a sensação de estar envolvido com amor fazem com que o bebê se sinta protegido e capaz de superar o quadro clínico.

Junto da família, o bebê adquire confiança e usufrui dos benefícios do leite materno, que o afasta de complicações, como infecções, regurgitações alimentares e alterações respiratórias. Fortalecido, ele ganha peso rapidamente e fica menos tempo na UTI.

O método Mãe Canguru

O método Mãe Canguru teve início na Colômbia, em 1978, pelo pediatra Edgar Sanabria, que percebeu que o pequeno número de incubadoras não seria suficiente para o grande número de prematuros que precisavam de suporte. Assim, o médico esperava o quadro clínico dos bebês estabilizar, tirava-os da incubadora e amarrava-os ao corpo das mães.

Os princípios básicos são:

  • Calor, gerado e transmitido pelo corpo da mãe pele-a-pele com o bebê;

  • Leite materno que alimenta e protege contra infecções;

  • Amor, que estimula o prematuro a se desenvolver melhor.

Relactação

O maior estímulo da amamentação vem da sucção da boca do bebê, mas quando a mãe para de produzir leite ou o prematuro não consegue sugar, é preciso estimular o processo. A técnica de relactação ou lactação adotiva é bastante incentivada no Monte Sinai para suprir a deficiência. Através de uma sonda colocada junto ao bico do peito da mãe, a criança vai sugando o leite, que sai de um recipiente apropriado. Ao mesmo tempo em que mama o peito, ela se alimenta e reestimula a produção de leite materno. Tudo com conforto e tranqüilidade para mãe e bebê.

Conheça a equipe que cuida do seu bebê no Monte Sinai

Bebês prematuros, os extremos, principalmente, são clinicamente frágeis e podem sofrer de diversas complicações, entre as quais a síndrome de sofrimento respiratório, a hemorragia intraventricular (sangramentos no cérebro) e a retinopatia do prematuro (crescimento anormal dos vasos sanguíneos do olho). Muitas vezes, continuam a vivenciar problemas de saúde física que podem demandar visitas médicas frequentes e novas hospitalizações nos primeiros anos de vida.

É impossível prever com precisão quais as taxas de sobrevivência e se haverá sequelas para o bebê após o nascimento prematuro. Cabe lembrar que cada bebê é único. E as taxas de sobrevivência variam por muitos fatores e precisam ser contabilizadas para melhoria constante. UTIs com casos difíceis, com altas taxas de sobrevida, têm esta vitória devido à multidisciplinariedade e a sinergia de sua equipe. Entre profissionais fixos e plantonistas, a UTI depende de especialistas de sobreaviso. Conheça a estrutura padrão e o suporte.

Neonatologista

É o pediatra com especialização e Neonatologia, que cuida de bebês desde o nascimento até 28 dias de vida, quando estes deixam de ser chamados de recém-nascidos (ou neonatos) e passam a ser lactentes.

Enfermeiros e técnicos em enfermagem

A equipe da UTI é composta por enfermeiros e técnicos em enfermagem. No Monte Sinai, enfermeiros neonatologistas, além do curso superior, devem ser especializados na disciplina. Os técnicos têm formação de nível médio e são os profissionais que estão ao lado do bebê 100% do tempo: checam sinais vitais, trocam fraldas, dão banho, alimentam etc.

Nutricionista

É o profissional de nível superior que cuida da dieta do prematuro. Atua em conjunto com a equipe multidisciplinar, definindo qual a melhor opção de alimentação para o bebê em termos de volume, diluição, frequência etc. Também é habilitado a orientar o processo de amamentação na UTI.

Fisioterapeuta

Profissional de nível superior que estimula a parte motora e respiratória do prematuro, diminuindo as sequelas da prematuridade e o atraso que ele pode apresentar em relação aos bebês a termo.Na Neo do Monte Sinai, também é exigida especialização nesta habilidade.

Psicólogo

Profissional de nível superior que promove a humanização do atendimento na UTI, cuidando da saúde emocional das famílias dos bebês prematuros e garantindo o cuidado com a manutenção do vínculo mãe-bebê. Atua também juntamente à equipe multidisciplinar, dando apoio psicológico à mesma e facilitando suas relações e a comunicação com os familiares.

Fonoaudiólogo

Profissional de nível superior que trabalha principalmente com a estimulação da oral do bebê, ensinando a ele como coordenar sucção-deglutição-respiração, a fazer a pega correta e a sugar o seio (ou a mamadeira) efetivamente. Além disso, é ele o responsável pela avaliação dos resultados do indispensável teste da orelhinha no bebê prematuro.

Cardiologista

Médico especializado no coraçãozinho do prematuro. Seja por problemas cardíacos congênitos ou pelo não fechamento do canal arterial (PCA), é o cardiopediatra que vai conduzir o tratamento do bebê da forma mais eficaz.

Oftalmologista

Profissional especialista na visão do bebê. Como os prematuros correm maior risco para desenvolver retinopatia da prematuridade, eles serão avaliados pelo oftalmologista e, se necessário, será feito o acompanhamento durante a internação após a alta.

Neurologista Pediátrico

É um pediatra especializado na saúde do sistema nervoso. Bebês prematuros tendem a ter hemorragias intracranianas que podem ou não lesionar partes do cérebro. É ele quem vai acompanhar o correto desenvolvimento neurológico do seu prematuro.

Pneumologista Pediátrico

É o pediatra especilizado em cuidar da parte respiratória do bebê. Por nascerem com os pulmões ainda em formação, os prematurinhos tendem a desenvolver problemas e sequelas respiratórias que devem ser acompanhados de perto por este profissional. Displasia broncopulmonar, rinite, sinusite e asma são exemplos dessas complicações.

Gastroenterologista Pediátrico

É o médico que cuida da saúde digestiva do bebê. Alguns prematuros podem desenvolver problemas gastrointestinais decorrentes da prematuridade e é o gastropediatra que vai orientar a melhor alternativa de tratamento.

Como Chegar Marker

Urgência, emergência,
atendimento ambulatorial e visitas a unidades fechadas (utis)

Rua Vicente Beghelli, 315

pacientes internados, visitantes e acompanhantes

Avenida Presidente Itamar Franco
(antiga Av. Independência), 4000

fornecedores e entregas

Rua Antônio Marinho Saraiva, s/n

Heliponto

Latitude: 21º 46' 862" Sul
Longitude: 043º 21' 887" Oeste

Copyright © 2004 Hospital Monte Sinai. Todos os direitos reservados. Endereço: Av. Presidente Itamar Franco 4000, Cascatinha - Juiz de Fora/ MG CEP: 36033-318 / Telefone: (32) 2104-4455 / (32) 2104-4000

Quality Safaty - Hospital Monte Sinai
Desenvolvido por: Logohandcom2